PALESTRAS GRATUITAS PARA SIPAT SÃO RUINS?

Algumas empresas procuram Palestras gratuitas para compor a programação da SIPAT. É uma alternativa que as empresas encontram para reduzir ou conter os gastos, mas sempre fica a dúvida se vale a pena contratá-las. Afinal, as Palestras gratuitas para SIPAT são ruins?

QUALIDADE

É preciso avaliar a qualidade das Palestras antes de contratá-las e se o perfil do Palestrante combina com sua empresa. Não adianta contratar uma atividade qualquer só por ser gratuita. É necessário analisar se a forma de abordar os temas e a maneira que a Palestra é realizada são compatíveis com a empresa contratante.

É GRATUITA MESMO?

Alguns palestrantes anunciam “Palestras gratuitas para SIPAT”, mas na prática não funciona assim. Os “escambos” estão muito presentes. Isso quer dizer que em troca das Palestras gratuitas, os Palestrantes fazem exigências como:

 – Livros ou materiais do Palestrante devem ser vendidos ao público.

– Os Palestrantes estabelecem um número mínimo de venda de livros. Caso as pessoas que assistiram a Palestra não comprem o suficiente, os contratantes devem arcar com o custo.   

– Muitos Palestrantes exigem um número mínimo de pessoas na plateia.

REAL INTERESSE

Analise se o real interesse do Palestrante é transmitir informações relevantes de forma interessante e consistente ou se a intenção principal é vender livros e materiais próprios. O público sente o real interesse do Palestrante e desanima a todos que assistem. O barato pode sair caro. É sempre bom ponderar se realmente compensa contratar Palestras Gratuitas para SIPAT.

ALTERNATIVAS

Se o orçamento para a SIPAT da sua empresa for limitado e não há condições de contratar profissionais especialistas em Palestras e Teatros, temos algumas sugestões:

– Os próprios Cipeiros podem propor atividades divertidas e com conteúdo. Veja exemplos nos artigos DICAS DE GINCANAS PARA SIPATDICAS DE CONCURSOS PARA SIPAT e JOGOS PARA SIPAT.  

– Procure instituições confiáveis como o Corpo de Bombeiros, a Polícia Militar e a ANVISA, por exemplo. Muitos oferecem atividades realmente gratuitas.

Comments are closed.